29 de mai de 2015

SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE LIAN GONG EM 18 TERAPIAS NO BRASIL

De 02 a 09 de setembro, em Belo Horizonte [MG], e de 12 e 13 de setembro, em São José dos Campos [SP], o Dr. Zhuang Jian Shen, Presidente da Associação Municipal de Lian Gong em 18 Terapias de Shangai/China, vai ministrar o Seminário Internacional de LianGong em 18 Terapias, técnica crianda por seu pai, o Dr. Zhuang Yuan Ming, médico ortopedista da Medicina Tradicional Chinesa.

Dr. Zhuang Jian Shen com seu pai

Dr. Zhuang Yuan Ming (ESQ).

As 18 Terapias é uma técnica de Lian Gong elaborada na década de 70 pelo Dr. Zhuang Yuan Ming, médico ortopedista da Medicina Tradicional Chinesa, especialista em Tuina. O seu treinamento estabiliza, fortalece e refina a qualidade das estruturas dos tecidos moles e duros do corpo físico. O objetivo das 18 Terapias é o de prevenir e tratar das dores no corpo, desbloquear e ativar o fluxo do Qi correto pelo corpo, vitalizando-o e, simultaneamente, reconduzindo o corpo físico aos seus padrões apropriados de organização e ao restabelecimento de seus movimentos naturais. 

LIAN GONG significa trabalho persistente de treinar o corpo físico (músculos, tendões e ossos) para serem colaboradores do sopro (Qi). QI GONG significa trabalho persistente de cultivar o sopro (Qi) para serem assistentes dos músculos, tendões e ossos. As 18 Terapias é uma prática de Lian Gong, pois é um treinamento que transforma o corpo físico de fraco para forte e de doente para saudável, contando com a assistência do sopro (qi). Os exercícios são elaborados de forma a direcionar o sopro para onde ele é necessário com a finalidade de nutrir, desfazer obstruções, liberar aderências e restaurar a mobilidade dos tecidos. 

 O Dr. Zhuang projetou os exercícios baseado em seu método de tratamento de Tuina para as dores no corpo; as massagens e manobras manuais, que ele utilizava nos casos de desequilíbrios das estruturas osteomusculares, foram transformadas em exercícios utilizando os princípios do Daoin (condução da circulação do sopro e do sangue) e os movimentos da arte marcial Shaolin. 

METODOLOGIA DAS 18 TERAPIAS

O Dr. Zhuang trabalhava em um hospital de Shangai onde coordenava 20 médicos ortopedistas. No começo da década de 60, notou um aumento de pacientes com queixas de dores no corpo, e não eram somente pessoas idosas que geralmente sofrem de dores devido ao desgaste e enfraquecimento do corpo; mas havia também os que trabalhavam em escritórios, operários de fábrica e até robustos camponeses. O tratamento da medicina tradicional chinesa aplicados a esses casos são: o Tuina para estimular a circulação do sopro e do sangue, dissolver aderências e restaurar a movimentação da área afetada; prescrição de remédios fitoterápicos de uso externo e interno com o objetivo de avivar o sangue e fazer fluir o sopro. Os bons resultados obtidos pelo tratamento não perduravam, pois passados algum tempo o paciente voltava com recaídas e agravamento das dores. 

Para minimizar este problema, o Dr. Zhuang teve a ideia de agregar ao tratamento a prática de exercícios especialmente elaborados por ele, para tratar as dores e evitar recaídas. Com isso, obteve resultados altamente positivos, o índice de recaídas diminuiu e os pacientes ficavam com mais vitalidade, melhorando o bem Após vários anos de aplicação, observação e sistematização dos exercícios o Dr. Zhuang criou as 18 Terapias, ou seja, 18 exercícios terapêuticos para dores no corpo agrupados em 3 séries: - 6 exercícios para prevenção e tratamento de dores no pescoço e ombros; - 6 exercícios para prevenção e tratamento de dores nas costas e região - 6 exercícios para prevenção e tratamento de dores nos glúteos e pernas. 

 Posteriormente, sentiu necessidade de aprofundar a atuação dos exercícios e criou mais 18 Terapias que pudessem atuar nas articulações, tendões e funções dos órgãos internos. Com o surgimento dessa nova parte o Dr. Zhuang denominou de 18 TERAPIAS ANTERIOR (os exercícios para dores no corpo), e de 18 TERAPIAS POSTERIOR (os exercícios para articulações, tendões e órgãos internos que surgiram posteriormente). No início da década de 80, quando as 18 Terapias Anterior e Posterior já estavam difundidas na China e em outros países, o Dr. Zhuang criou mais 18 exercícios aprofundando ainda mais a atuação dos exercícios que agora tem como objetivo melhorar as vias respiratórias, se aproximando assim de uma prática de Qi Qong. Por isso foi batizado de I QI GONG (Beneficiamento dos Sopros) – 18 Terapias Continuação por ser uma Continuação após a Anterior e Posterior. 

SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE LIAN GONG EM 18 TERAPIAS NO BRASIL

Teremos a participação especial de Zhuang Jian Shen, filho do Dr. Zhuang Yuan Ming, criador do Lian Gong em 18 Terapias e Presidente da Associação de Lian Gong em 18 Terapias de Shanghai/China. Hoje ele é a referência do Lian Gong em 18 Terapias no mundo inteiro, jutnamente com Maria Lúcia Lee, introdutora do Lian Gong em 18 Terapias no Brasil. Em 2010, o Lian Gong em 18 Terapias foi colocado na lista do Patrimônio Cultural Intangível Nacional pelo Governo Chinês em Shanghai/R. P. China.

Oos objetivos deste seminário são promover o intercâmbio de conhecimento entre a China e o Brasil, com a participação do principal representante do Lian Gong em 18 Terapias no mundo; promover intercâmbio de conhecimento entre instrutores e praticantes de Lian Gong em 18 Terapias no Brasil e aprimorar, refinar, corrigir e reforçar os padrões físicos e terapêuticos do Lian Gong em 18 Terapias.

No Brasil trabalhadores da saúde de alguns estados são capacitados como instrutores de Lian Gong em 18 Terapias para conduzirem a atividade nas Unidades de Saúde do SUS e em parques e praças para que as pessoas possam procurar as unidades de saúde não só pelas doenças, mas principalmente para participarem ativamente e se responsabilizarem, através da prática do Lian Gong em 18 Terapias na sua própria promoção da saúde.

PROGRAMAÇÃO DO SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE LIAN GONG EM 18 TERAPIAS
Etapa Belo Horizonte

02/09/2015 [QUA] - Chegada do Zhuang Jian Shen em BH
03/09/2015 [QUA] - Entrevistas com imprensa
04/09/2015 [SEX] - 08:00h - Manhã - prática aberta e gratuita no Parque | Tarde – Partida para o Retiro das Rosas. Chegada a partir das 11:00
06/09/2015 [DOM] - retorno para BH até 17:00
07/09/2015 [SEG] - Manhã e Tarde - Palestra e Prática de Lian Gong em 18 Terapias em Belo Horizonte no ginásio do Clube Barroca. Uma oportunidade para refinar e apresentar os ensinamentos do Curso realizado no final de semana. Incluído para quem participar do curso no Retiro das Rosas. 08/09/2015 [TER] - Manhã - Palestra sobre a prática do Lian Gong em 18 Terapias na China e em outros países, ministrada por Zhuang Jian Shen e Vanessa Almeida da Escola de Enfermagem da UFMG. (local a definir)
Local do evento: Pousada Retiro das Rosas, a 50 km de BH, próximo a Ouro Preto.
Acomodações: apartamentos single, double e triple
Alimentação: 04/09: almoço, lanche da tarde, jantar e chá de boa noite // 05/09: café da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e chá de boa noite // 06/09: café da manhã, almoço e lanche da tarde
Custo do Curso: Curso + Hospedagem + Alimentação: R$1.200,00

(Pode ser parcelado em 5 X R$240,00 (MAIO/JUN/JUL/AGO/SET)
 APENAS 100 VAGAS

Forma de pagamento: depósito em conta Bancária - Banco HSBC [399]

Titular: Centro Mineiro de Artes Corporais Chinesas Ltda. 
Agência: 0884 – Savassi 
Conta Corrente: 00990-59 
CNPJ: 15.486.302/0001-99 
Belo Horizonte/MG

O Retiro das Rosas fica a 50 km de Belo Horizonte próximo a Ouro Preto. Podemos disponibilizar Vans de ida e volta de acordo com o número de interessados. www.retirodasrosas.com.br


PROGRAMAÇÃO DO SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE LIAN GONG EM 18 TERAPIAS 
Etapa São José dos Campos

12/09/2015 [SAB] – Manhã - Curso de Lian Gong em 18 Terapias Anterior | Tarde – Curso de Lian Gong em 18 Terapias Posterior
13/09/2015 [DOM] - Manhã - Curso de Lian Gong em 18 Terapias Continuação - I QI Gong.

Local do evento:  Hotel 14 Bis em São José dos Campos
Custo do Curso SJC: Curso + CoffeBreak (sem hospedagem e alimentação): R$ 600,00

(Pode ser parcelado em 4 X R$150,00 (MAIO/JUN/JUL/AGO)
 APENAS 60 VAGAS

Forma de pagamento: depósito em conta Bancária - Banco HSBC [399]

Titular: Centro Mineiro de Artes Corporais Chinesas Ltda. 
Agência: 0884 – Savassi 
Conta Corrente: 00990-59 
CNPJ: 15.486.302/0001-99 
Belo Horizonte/MG


COMO SE INSCREVER ou OBTER MAIS INFORMAÇÕES

Envie um email para liangongem18terapias@gmail.com, peça a ficha de inscrição e informe em qual cidade você quer fazer o curso: o retiro em Belo Horizonte (MG), ou o curso em São José dos Campos (SP).


CERTIFICADOS

Os certificados serão emitidos pela participação do Seminário Internacional de Lian Gong em 18 Terapias nas atividades de Belo Horizonte e em São José dos Campos assinados por Zhuang Jian Shen e pela Associação Brasileira de Lian Gong em 18 Terapias. Os certificados não autorizam os participantes a serem instrutores de Lian Gong em 18 Terapias. Nesta oportunidade a Associação Brasileira de Lian Gong em 18 Terapias apresentará os critérios para o participante que deseja ser Instrutor de Lian Gong em 18 Terapias de acordo com as instruções, métodos e regras sugeridas pela Shanghai Municipal Lian Gong Shi Ba Fa Association / China.

17 de abr de 2015

A MATEMÁTICA DA LAO JIA

Professores do Taolu e
Instrutores Certificados no Nível 2 pela  WCTA-Br


"Excelência é uma habilidade conquistada através de treinamento e prática. 
Nós somos aquilo que fazemos repetidamente. 
Excelência, então, não é um ato, mas um hábito."
- Aristóteles -


A Lǎo Jià Yī Lù (老架一路– Forma Antiga 1ª Parte) é reconhecidamente a forma mais antiga de Taijiquan que se tem registro histórico. Dela derivaram-se várias outras formas, não somente do próprio estilo Chen, como também de outros estilos (Yang, Wu, Wu-Han, Sun).

Mural ilustrando os movimentos da Laojia
Templo de Chen Wanting - Chenjiagou/China
Assim sendo, a Lǎo Jià, juntamente com a Lǎo Jià Èr Lù (老架二路– Forma Antiga 2ª Parte) - também conhecida somente com o Pào Chuí (炮捶– Punho de Canhão) -, foi um divisor de águas na evolução do Taiji ao ser criada por Chen Chang Xing (14ª geração), que condensou nestas duas formas, as sete outras criadas por Chen Wang Ting (9ª geração). Ambas, combinadas, constituem a base do sistema de Taiji do estilo Chen, concentrando em seus movimentos os princípios desta arte marcial interna, bem como os fundamentos do Zhàn Zhuāng (站椿 – Meditação de Pé) e do Chán Sī Gōng (纏絲功 – Exercícios da Seda).

Dada sua importância é que a Lǎo Jià assume o posto de forma base dos estudos do Taiji estilo Chen. O aprofundamento e a evolução em sua prática devem ser levados adiante pelo praticante, com constância e diligência.

O próprio Chen Chang Xing já dizia:

“Não existem coisas simples no mundo. 
Tão pouco há coisas difíceis. 
Para se atingir o Gōng ( – Excelência), há que se exercitar 
continuamente, sem exageros ou pressa, 
pois as coisas devem evoluir passo a passo".

E a Lǎo Jià exige este desafio de estudo e prática constantes, não só por ser uma forma longa (75 movimentos), mas também pela sua riqueza em fundamentos substanciais. Nós, enquanto multiplicadores desta prática, devemos criar um laço profundo e íntimo, não somente com seus fundamentos, princípios e execução, mas também com cada um de seus movimentos.

Por isso, deixaremos a prática para o nosso treino individual e/ou aquele orientado por nossos mestres, e vamos estreitar aqui o vínculo com a Lǎo Jià, explorando seus números e curiosidades, buscando uma familiaridade maior como faríamos com alguém a quem estamos cortejando em busca de aproximação e cumplicidade... Como faríamos para conquistar aquele companheiro para vida toda.

A Lǎo Jià, conforme conhecemos hoje, possui ao todo 75 movimentos. No entanto, alguns praticantes contabilizam apenas 74, ao combinar os movimentos 53 (Shuāng Bǎi Lián) e 54 (Diē Chà).

Em um de seus vídeos sobre a Lǎo Jià, o GM Zhu Tian Cai (um dos “Quatro Tigres Durados”, guardiões do estilo Chen, juntamente com Chen Xiao Wang, Chen Zheng Lei e Wang Xian), relata, inclusive, que houve um tempo em que o primeiro movimento (Yù Bèi Shì) e o último (Shōu Shì) também não eram contados.

Para nossa matemática aqui, consideraremos que a forma possui 75 movimentos, sendo que a primeira parte tem 18, a segunda tem 20, a terceira tem 17 e a quarta também tem 20.

A Lǎo Jià pode ser executada de forma bem lenta ou bem acelerada. Mantendo uma execução em velocidade média, podemos executá-la em torno de 23 minutos, o que daria em média 3 movimentos/minuto (caso todos os movimentos tivessem a mesma extensão, claro).

Dos seus 75 movimentos, 29 são únicos e 14 se repetem:
  •  Dān Biān (7x),
  •  Liù Fēng Sì Bì (6x),
  •  Jīn Gāng Dǎo Duì (4x),
  •  Yǎn Shǒu Gōng Quán(4x),
  •  Xié Xíng (4x),
  •  Bái Hé Liàng Chì (3x),
  •  Shàng Sān Bù (3x),
  •  Yùn Shǒu (3x),
  •  Lǒu Xī (2x),
  •  Lǎn Zá Yī (2x),
  •  Gāo Tàn Mǎ (2x),
  •  Dào Juǎn Gōng (2x),
  •  Shǎn Tōng Bèi (2x) e
  •  Shuāng Bǎi Lián (2x).


Desta lista podemos observar que os movimentos que mais se repetem, Dān Biān e Liù Fēng Sì Bì, são também os únicos movimentos que aparecem nas 4 partes da forma.

Estes dois movimentos, juntamente com o Jīn Gāng Dǎo Duì, são os que mais se repetem em uma única parte: Jīn Gāng Dǎo Duì se repete 3x na primeira parte e o Dān Biān e o Liù Fēng Sì Bì se repetem, também 3x, na terceira parte.

Em toda a forma temos 5 movimentos ‘batizados’ com nomes de animais:
  •  Mov. 07/57 – Bái Liàng Chì (Garça)
  •  Mov. 17 – Qīng Lóng Chū Shuǐ (Dragão)
  •  Mov. 28/64 – Gāo Tàn Mǎ (Cavalo)
  •  Mov. 55 – Jīn Dú Lì (Galo)
  •  Mov. 67 – Yuán Hóu Xiàn Guǒ (Macaco)

   
Esperamos que esse artigo possa ter trazido uma oportunidade de olhar para a Lǎo Jià de uma forma interessante e curiosa. Quanto mais a observarmos em detalhe, mais veremos sua beleza, fluidez e leveza... Para assim executá-la, sempre como se renovássemos nosso laço, a cada repetição... Cada Lǎo Jià, uma Lǎo Jià diferente. Cada Dān Biān nunca o mesmo Dān Biān.

E assim, como dizem os chineses, veremos “sempre a mesma primavera, nunca as mesmas flores”.


Publicado na Revista anual
da WCTA-Br (2014), pg. 13
.

18 de mar de 2015

TAI CHI CHUAN: DEPRESSÃO E SAÚDE MENTAL

Diretor do Taolu 
Artigo publicado no Jornal Lotus Bem-Estar | FEV/2015

O Tai Chi é uma arte marcial chinesa conhecida por ser o estilo de Kung Fu mais famoso no mundo. Ela utiliza os princípios filosóficos e fundamentos técnicos milenares para a proteção e promoção das capacidades físicas e mentais do praticamente. O termo Tai Chi significa viga mestra, eixo ou centro; Chuan significa luta. Os dois termos juntos traduzem e expressam seu objetivo maior: "Luta pelo equilíbrio e a harmonia na vida".  

Para quem é recomendada a prática? 
O Tai Chi é indicado para todos aqueles que queiram se manter livres ou longe dos quadros de depressão, ansiedade, pânico, estresse, euforia, sedentarismo e suas consequências as quais são consideradas atualmente as grandes sequestradoras de três elementos essenciais para a vida que são: o tempo, a produtividade e a qualidade de vida. Além de também nos proteger dos dois gringos que queremos ver o mais longe possível, o Alzheimer e o Parkinson. Envelhecer é um processo natural, mas devemos envelhecer com saúde, qualidade de vida e principalmente, no tempo certo. Até lá, devemos ter muita saúde, disposição e eficiência em todas as nossa atividades pessoais e profissionais. As pessoas que necessitam de recuperação e/ou promoção da saúde global (física, emocional e mental), são as pessoas para as quais eu recomendaria o Tai Chi Chuan, com sua ciência e filosofia, que há milênios ajuda o ser humano a ser mais saudável e feliz.  

Mestre Chen Bing

Como a prática pode prevenir a depressão? Isso vale tanto para jovens quanto para adultos e idosos? 
Diversos estudos científicos comprovam que o Tai Chi Chuan age de forma benéfica à saúde humana como um todo, através das características de sua prática que combinam forte estímulo mental associados a movimentos físicos, onde um regula a atividade do outro. Quando se soma a filosofia central do Tai Chi, "Harmonia entre os opostos e suas mudanças", temos um exercício poderoso para recuperar e promover a saúde e a qualidade de vida do praticante. ‎ Desde que foi criado, o Tai Chi Chuan vem protegendo seus praticantes de diversas desordens do humor - onde a depressão é o quadro crônico mais comum e que responde com os melhores resultados com a prática regular do Tai Chi Chuan. 

Durante o trabalho e outras atividades pessoais, temos uma exaustiva atividade mental e emocional exacerbada, que deixa o ambiente por vezes tenso e os resultados esperados comprometidos. A prática regular do Tai Chi nos condiciona a ter uma postura física, mental e emocional mais equilibrada; maior capacidade em manter a tranquilidade diante das dificuldades diárias, sem perder a agilidade; maior disposição, mais energia para as atividades em geral, maior tranquilidade, controle e centramento para tomar decisões e debater pontos de vista. 

Mais especificamente, a prática regular do Tai Chi Chuan relaxa o córtex cerebral, propiciando um maior equilíbrio entre as funções das reações adrenérgicas para as atividades cerebrais que exigem grande atenção e esforço mental, e as reações dopamínicas, que promovem as reações de contemplação, percepção e recuperação. O Tai Chi também proporciona um condicionamento físico e emocional para diversas situações que gerariam estresse, sentimentos de baixa autoestima ou pensamentos depressores, onde o praticante se mantém em uma postura mental e emocional capaz de anular essa situação, seja por ajuste psicológico gerado pela filosofia aplicada às situações ou pela estabilidade psicológica e emocional fisiológica gerada na pratica do Tai Chi. 

Neste intuito, o "Taolu Cultura Oriental" oferece serviços de treinamento, capacitação e atividades de Promoção Humana e Cultura Oriental. Procuramos ter diversos formatos de atividades que possam se adequar às diversas demandas de nossos alunos em geral e clientes corporativos.
.

17 de mar de 2015

EQUILÍBRIO E HARMONIA PARA VENCER A DEPRESSÃO

A Revista Postal Saúde dos Correios tem como tema central de sua edição de MAR/2015 o mal do século XXI: a depressão. No artigo que comenta a importância das atividades físicas para vencer a depressão, o Professor Magno Bueno deu uma pequena entrevista a respeito dos benefícios que a prática do Taichichuan pode trazer para o processo de recuperação. Vale a pena conferir! ;-) Clique na imagem abaixo para acessar a revista. 
.

13 de mar de 2015

TETSU KOIKE - MINHA EXPERIÊCIA DE 'CALOURO' EM UM SEMINÁRIO DE TAIJIQUAN

Tetsu Koike
No último final de semana de Fevereiro, recebemos novamente em Brasília o Mestre Jan Silberstorff para mais um excelente seminário de Taiji estilo Chen. Todos os professores e vários alunos do TAOLU participaram do evento, com um feedback bastante positivo da experiência. Dentre eles nosso aluno Testu Koike. Tetsu começou a praticar Taiji conosco e é aluno iniciante do nosso Curso de Formação - matriculado na turma Xiaowang - e como todo aluno iniciante ficou em duvida se valia à pena participar do seminário tendo tão pouco tempo de prática.

Após conversar com nossos professores e muito refletir ele decidiu participar do seminário e não se arrependeu! Aqui abaixo ele compartilha conosco o relato de sua experiência e suas impressões...




"Família TAOLU e praticantes de Tai Chi Chuan Brasil a fora, gostaria de compartilhar com vocês um breve relato da minha experiência ao participar do 9º Seminário de Tai Chi estilo Chen​com o Mestre Jan Silberstorff, em Brasília. O seminário foi organizado ​pela WCTA-BR ​ e ​ apoiado pelo TAOLU

Bem, se fosse resumir minha impressão em uma palavra, seria 'espetacular'! Como comecei a aprender Tai Chi há poucos dias, não tinha a mínima ideia do que esperar e de como seria um seminário como esse. Fiquei mesmo na dúvida. Será que eu iria entender alguma coisa? Será que iria me servir no nível básico em que estou? Será que não seria melhor deixar para outra oportunidade? Enfim... mas o que me motivou a participar foi exatamente a chance de ver, ouvir e aprender com um grande Mestre. Essa curiosidade pessoal me fez decidir. E não me decepcionei! Pelo contrário! Ao final do dia, após cinco horas de ensinamentos e prática, tive a certeza de que fiz a melhor opção ao decidir participar. 

Da turma que foi ao seminário no sábado, eu era o único iniciante, mas isso não foi problema ou limitação em momento algum. Mestre Jan possui todas as qualidades que eu imaginava que um Grande Mestre teria: vasta experiência, conhecimento profundo da filosofia e da arte a qual se dedica, uma didática excepcional e, se não bastasse, uma paciência de Jó, ou melhor, de 'Jan', com os alunos. Isso foi fundamental, pois me senti realmente à vontade ao lado dos colegas com nível muito avançado e que já sabiam realizar todos os movimentos com precisão. 

Fizemos a Laojia Yilu - suas primeiras duas partes -, com um nível de detalhe realmente profundo, pois o Mestre Jan explicou de diferentes formas - com exemplos e total domínio teórico - o que realmente está por trás de cada postura, de cada movimento da Laojia: porque as posições dos ombros, quadris, mãos e pés são tão importantes; como a energia flui através de seu corpo e como seu corpo se comporta ao realizar os movimentos; quais as diferenças entre um mestre e um aprendiz, e entre uma simples cenografia de movimentos e o verdadeiro movimento de Tai Chi; porque se diz que Tai Chi é meditação em altíssimo grau, associada a movimentos ao mesmo tempo suaves e muito poderosos. 

Enfim, conhecimento puro de filosofia chinesa, demonstrado na prática. Confesso que nem vi a hora passar e até meio que lamentava os intervalos, pois quando se aquece e se começa a praticar, só dá vontade de continuar mesmo. Mas foi justamente nos intervalos que Mestre Jan explicou detalhadamente porque devemos prestar muito mais atenção aos movimentos internos do que aos movimentos externos do Tai Chi que, com o tempo, tornam-se mais naturais para o praticante, desde que os fundamentos sejam preservados. 

Estou bem animado e ainda mais motivado para colocar tudo isso em prática nas aulas. Valeu demais! E concluo dizendo o seguinte: na próxima oportunidade, caso você esteja ainda em dúvida, só há uma maneira de dissipá-la e é participando do seminário, vendo, ouvindo, praticando. Tenha essa experiência primeiro e tire suas próprias conclusões depois. Tai Chi Chuan é tudo de bom!"
Tetsu Koike é aluno da Turma Xiaowang (ano 1) 
do Curso de Formação em Taijiquan do TAOLU
.

23 de fev de 2015

FESTIVAL DE CINEMA CHINÊS DO MUSEU DOS CORREIOS

O universo cultural da China chega ao Museu dos Correios com a Mostra de Cinema Chinês. Ao todo serão exibidos 16 filmes, dentre eles estão documentários, animações, drama, comédia, musical e ação.
 
A iniciativa da Embaixada da República Popular da China no Brasil e do Museu dos Correios permite uma aproximação dos brasileiros a elementos da tradição, história e costumes, de um país cada vez mais importante no cenário mundial.  
 
O primeiro longa-metragem de animação da China foi criado em 1940.  No final da década de 50, o desenvolvimento se tornou marcante, imprimindo um estilo particular aos enredos. Os filmes mostram características culturais, fábulas e pinturas. A técnica da aquarela transferida para a tela chama a atenção do mundo para as produções chinesas. O drama “Paraíso do Oceano” com Jet Li e “O Pequeno Grande Soldado” com Jackie Chan.
 
A mostra tem entrada franca e começa no dia 24/FEV indo até o dia 01/MAR. Confira a programação no site do Museu dos Correios.
 
SERVIÇO
Mostra de Cinema Chinês
24 de fevereiro a 01 de março
Local: Museu Nacional dos Correios
Endereço: Setor Comercial Sul, quadra 4, bloco A, n° 256
Ed. Apolo, Asa Sul - Brasília/DF
Horário: Verificar programação
Entrada Gratuita
(sujeita à lotação do auditório)