27 de out de 2010

LAOWAI : HISTÓRIAS DE UMA REPORTER BRASILEIRA NA CHINA

Quem vai viajar com o IFTB para a China em MAR/2011, não pode deixar de ler Laowai. Aliás, Laowai foi o primeiro livro resenhado - de vários que serão apresentados - na última Reunião de Preparação para a Viagem.

O livro traz o relato pessoal da jornalista Sônia Bridi durante os dois anos [2004-2005] que ela passou na China, juntamente com a família, para instalar a primeira central oriental da Rede Globo. Sônia conta detalhes de suas experiências com a cultura chinesa neste período. Algumas descobertas dela:
- LAOWAI [Lao, velho. Wai, de fora]: é como os chineses se referem aos estrangeiros ocidentais, de modo mais informal. Formalmente seria waiguomen [estrangeiro], mas tem também as formas pejorativas como: ‘peludo’ [maozi], ‘narigudo’ [dabizi], ‘demônio de fora’ [guilao] ou apenas ‘demônio’ [yangguizi];

- FILA: Não existe a instituição ‘fila’. Existe sim a disputa nítida e clara, na boca do caixa, pelo atendimento. Os chineses acreditam que o mais forte deve se manifestar sobre o mais fraco, e este, por sua vez, tem obrigação de ceder;

- BANCO: os chineses não trabalham nem com cheque, nem com cartão de crédito. A maioria das transações, não importa o montante, são feitas com dinheiro vivo, ou com cartão pré-pago [que eles chamam de cartão de crédito]. É comum ver pessoas saindo dos bancos com grande volume de dinheiro, sem se preocupar de serem abordados. Até mesmo porque as punições penais para assaltantes por lá são muito severas;

- TELEFONES: Como o número 8 é muito valorizado [tem o mesmo som da palavra ‘prosperidade’], telefones com este número são muito caros. O inverso já acontece com telefones com número 4 [tem som parecido com o da palavra ‘morte’];

- CARROS: Carros vermelhos [cor da Casa Imperial] e os carros amarelos [cor antes de uso exclusivo do Imperador] são os carros mais caros e para a compra deles não há pechincha.
A história, misto de reportagem e diário de viagem, é muito bem escrita, e contada de forma objetiva, inteligentemente divertida e leve. E apesar de algumas coisas terem mudado com a preparação do País - e de sua população - para receber os turistas durante as Olimpíadas de 2008 [principalmente nas capitais], ainda assim recomendamos a leitura do livro, como forma de ter um primeiro contato com a cultura chinesa.

Fica aqui o convite para ler o livro e para se juntar à nós na próxima Reunião Preparatória para a viagem à China: 26/NOV [SEX], 18:30, na Rosacruz AMORC.

FICHA TÉCNICA
ISBN: 9788588844759
IDIOMA: Português.
EDIÇÃO: 8ª
PÁGINAS: 384 p.
EDITORA: Letras Brasileiras 

.

Nenhum comentário: