2 de mai de 2011

CHINA 2011 - EU FUI! - Fábio Furrier

Uma viagem com a que fizemos para a CHINA, não se compara facilmente a qualquer outra. O país para onde fomos... o grupo que se uniu e se lançou nessa aventura... os mestres e as pessoas que cruzaram nosso caminho... tudo isso e mais um pouco, contribuiu para torná-la muito especial.

Ao pensar nisso, o IFTB ficou muito curioso para saber a opinião de nossos viajantes. E fez a seguinte pergunta a todos eles: O QUE A VIAGEM À CHINA TROUXE DE BOM PARA O SEU TAIJI e PARA SUA VIDA PESSOAL? 

Assim, a partir de agora, dividiremos com vocês, aqui no Blog, alguns destes depoimentos.

Hoje quem compartilha sua impressão conosco é o Fábio:


Fábio "Fake" Furrier no aeroporto de Pequim
"Quanto à minha vida pessoal, a viagem à China me fez ver...

- Que o antigo e o novo podem conviver em harmonia...
- Como não estamos preparados para uma Olimpiada...
- Que comer buchada e jacaré não é tão exótico assim...
- Que os alemães tem o sádico prazer de nos ultrapassar, seja na F1, seja nos ônibus de turismo [rsrs...]...
- Que não é preciso falar a língua local para nos comunicarmos, principalmente quando a conversa envolve dinheiro...
- Que banheiro bom é banheiro limpo...
- Que a megalomania de imperadores também produz coisas belas...
- Que lá se pode falar mal de lideres antigos que se foram (Mao), mas nunca falar bem de lideres atuais que ainda estão por aqui (Dalai Lama)...
- Que a China é um pais sem obesos e sem fraldas...
- Que o xadrez chinês deles não é nada parecido com o nosso xadrez...
- A falta que faz uma escada rolante na montanha de Huashan...
- A falta que ela também faz quando você tem que puxar malaSSS numa estação ferroviária...
- A qualidade das padarias de Xi'an...
- Como eu não gosto tanto de pimenta como eu pensava...
- Como eu gosto de manteiga, café e leite mais do que eu pensava...
- Que o incenso na China não é cheiroso...
- Que eu posso virar modelo fotográfico, mesmo sem ser bonito...
- Que não há como saber como a saúde conquistada com chás e massagens pode permanecer com tanto consumo de cigarro!

Já com relação ao meu Taijiquan... Tive a certeza absoluta de que temos dois dos melhores 'shifus' do mundo: Magno e Liana. E que temos que aproveitar o máximo desta sorte, não perdendo a oportunidade de absorver o que eles podem nos proporcionar, demonstrando respeito e dedicação a suas orientações.

Ainda sobre isso me veio o sentimento de profunda gratidão e respeito também por todos que me ajudam nessa jornada, incluindo nossos outros professores e meus colegas de treino. Aprendo com todos, todos os dias!

Também me impressionou, durante a visita a Chenjiagou, a veneração que se tem aos antepassados, à tradição. Venerar alguém que deixou um legado para todos se beneficiarem, quer eles estivessem cientes ou não da proporção e de como isso iria além da vila.  É incrível como o amor que uma família dedicou a uma arte pode mudar uma outra pessoa trezentos anos depois, tornando-a melhor física, mental e espiritualmente.

Fica a lição de que nós também devemos, e podemos, deixar às gerações posteriores um exemplo de dedicação a alguma coisa maior que nosso previsível cotidiano. Fazer não apenas o que é nosso dever, mas deixar um legado, fruto de algo que fazemos pelo nosso aprimoramento pessoal. Hoje é apenas relaxar e ser flexível numa postura. Amanhã é relaxar e ser flexível numa situação conflituosa.

Se pudermos mudar a nós mesmos, teremos aprendido a lição dos antepassados. E nossa vida terá tido, finalmente, um significado."

Fábio Furrier é aluno do 3º ano do Curso de Formação do IFTB,
turma LaoHu, pratica também Yoga, é um estudioso
da astrologia e mora em Brasília - DF e foi conosco para a CHINA!

LEIA OS DEPOIMENTOS DE OUTROS VIAJANTES AQUI!
.

Nenhum comentário: