19 de jan de 2017

VIAJE COM SEU TAICHI E SEU QIGONG - Por Violet Li

Por Violet Li, publicado no site St. Louis Taichi Examiner
Tradução de Soraya Lacerda
Foto 1 do acervo do TAOLU
Foto 2 proveniente do artigo original
Outros artigos de Violet traduzidos para o TAOLU, aqui.

O primeiro semestre letivo acabou e vieram as férias. Famílias de malas prontas para viagem. E mesmo que esta folga seja mais do que desejada, definitivamente elas causam a interrupção de nossa rotina diária. Alguns reclamam que se come demais, e outros que deixamos nossa atividade física de lado, sempre que viajamos. No entanto, com sua portabilidade, o Taichi e o Qigong podem ser praticados onde quer que o praticante vá!

A circulação sanguínea de nosso corpo sofre bastante sempre que viajamos longas distâncias, quer seja de avião ou de carro. Alguns sofrem inclusive de calafrios nas mãos e nos pés. A prática do Taichi e o Qigong é super indicada para amenizar estes problemas. Se o seu vôo não estiver completamente lotado, tente achar um assento sem 'vizinhos'. E mesmo que isso não seja possível, você ainda assim pode desfrutar de um pouco de Taichi.

Aluno do Taolu praticando em Chenjiagou
Você pode praticar o 'Movimento Inicial' [Chi Shi], os 'Exercícios do Fio da Seda' [Cansigong*] e alguns movimentos de Ba Duan Jin, executando somente os movimentos dos braços. É claro que você terá que reduzir a amplitude dos movimentos; neste caso, a chave para um resultado favorável é manter a concentração, com respiração fluida e cadenciada. Vôos com escalas intermináveis são muito comuns hoje em dia, com os cortes nas rotas diretas da companhias aéreas. Um dos benefícios do Taichi sentado é exatamente o fato de você poder concentrar a atividade na área central de seu corpo e realmente trabalhá-la. Você também pode praticar os exercícios do 'Fio da Seda' [Cansigong*], ou até mesmo repetir certos movimentos isolados das formas ['Amarrando o Casaco' ou Repelindo o Macaco, sem deslocamento]. Você pode executar quantas repetições quiser.

Quanto a hotéis, mesmo que alguns quartos na Europa, Japão, Hong Kong e até mesmo em algumas cidades maiores estejam cada vez menores, isso não deve ser um impedimento para a sua prática. Mesmo que você prefira ser mais reservado, ainda assim você pode se exercitar no seu quarto. Todas as formas do Taichi são flexíveis. Você não precisa executar a forma completa, na sequência tradicional, para desfrutar de seus benefícios. Pratique um movimento de cada vez, com diferentes interações, e ainda assim poderá alcançar o objetivo da prática.  A maioria das sequências de Qigong não precisam de muito espaço, o que faz com que sejam perfeitas para serem trabalhadas em espaços diminutos. E se seu quarto for realmente um desafio em termos de espaço, ainda assim você pode praticar a 'Meditação em Pé' [Zhanzhuang*].

Aliás, o Taichi não é nada diferente da corrida ou de outras formas de exercício. Não se sinta acanhado de praticá-lo em público, assim como as pessoas não se sentem envergonhadas ao correr nos parques ou nas ruas. Você também pode fazer uso dos centros de fitness, jardins, pátios e até mesmo da área da piscina de seu hotel para praticar seu Taichi.

Agora, se você vai permanecer na cidade por um número razoável de dias, você pode até mesmo usar o Google para localizar aulas ou grupos locais de Taichi, e contatá-los antes de partir de férias. Você se surpreenderá ao descobrir que amantes do Taichi por todo o mundo são bastante receptivos com colegas visitantes. Mr. Ahmet Azkan em Istambul, por exemplo, pode lhe informar onde e quando seu grupo pratica, e até mesmo passar detalhes de como chegar lá. Ron Sewell, in Bonaire, oferece aulas gratuitas para visitantes. E o mesmo serve para férias locais, no Brasil*.

Karen Nesbitt no Egito
Karen Nesbitt, do Havaí, adora viajar. Para ela, praticar seu Taichi em frente às pirâmides do Egito foi extremamente agradável e espiritual – talvez pelo fato de ambos representarem culturas tão antigas e relevantes. Os praticantes do grupo Chenjiagou Taijiquan [GB], da Grã-Bretanha, têm a divertida tradição de fotografar seus momentos de prática, por onde quer que viajem. Algumas fotos exibidas neste artigo foram tiradas da página do grupo, no Facebook [sem autorização expressa].

Então, da próxima vez em que você estiver em frente à Torre Eiffel, em Paris; ou no Parque Yosemite, nos EUA, não se esqueça de praticar seu Taichi, pedir alguém para tirar uma bela foto e mandá-la para mim!


* Notas da tradutora.
.

Um comentário:

Sales - Saresu disse...

Olá, Leitores.

Já vi gente fazendo exercício de Chi Kun em vôos nacionais também.

No vôo entre China Canadá, e Canadá China foi recorrente!

Sempre procuro fazer alguns exercícios em vôos mais longos.

Aproveito e mando esses dois links com dicas:

http://pt.wikihow.com/Exercitar-se-Durante-um-V%C3%B4o-Longo

http://www.emirates.com/br/portuguese/plan_book/essential_information/health_and_travel/during_your_flight.aspx

Bastante atenção ao segundo, verão que os praticantes de Tai Chi que seguem uma linha bem direcionada para a saúde poderão viajar por mais tempo e mais vezes! ;-) Viva o Tai Chi!

Abraços, boas viagens a todos e saúde, sempre.